Representantes do Estado virão a Itabira para alinhamento sobre Centro Socioeducativo e presídio de pequeno porte

Jeferson Botelho

Na quinta-feira (8), o prefeito Marco Antônio Lage receberá a visita do secretário-adjunto de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Jeferson Botelho, para tratar sobre a construção do Centro Socioeducativo de Itabira e do presídio de pequeno porte. Eles visitarão o novo terreno disponibilizado pelo município para a execução da obra, como orienta o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Também participarão do encontro o chefe de gabinete da Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo (Suase), Joubert Rodrigues, a assessora da Suase, Andrea Santos; a subsecretária de Gestão Administrativa, Logística e Tecnologia, Ana Luisa Silva Falcão; o promotor de Justiça da Comarca de Itabira, Renato Ângelo Salvador Ferreira; e o vereador Bernardo Rosa.

A construção, no entanto, é condicionada à autorização, por parte da Câmara dos Vereadores, de que o município faça a doação de terreno ao Estado. Também será necessário que a Vale faça a cessão da área, já que o terreno é de propriedade da empresa. O projeto de construção do Centro Socioeducativo em Itabira contempla até 90 vagas para acautelamento de adolescentes, sendo 70 para a modalidade internação e 20 para a semiliberdade. Em gestões passadas, duas áreas apresentadas ao Sejusp foram negadas, levando a um novo estudo para identificar o melhor terreno para a construção da unidade. Como resultado, foi apontado um local de 20 mil m², no bairro Ribeira, que faz parte de uma área de 600 mil m² da mineradora Vale.

Presídio

Outra pauta muito importante para a cidade e que também será tratada durante a visita do secretário adjunto da Sejusp é uma unidade prisional de pequeno porte. A proposta é que Itabira tenha um presídio que acolha 300 detentos, na mesma estrutura daquele que foi implantado no município em 2008 e, por medida de segurança, foi desativado no ano passado. A unidade foi desligada e os detentos transferidos por determinação da 2ª Vara Criminal, de Execuções Penais e de Cartas Precatórias Criminais de Itabira. Itabira chegou a receber uma proposta para abrigar um complexo penitenciário com 600 vagas disponíveis, que foi rejeitado pela atual gestão da Prefeitura devido à ausência de um estudo de impacto social, econômico e ambiental por parte do Governo do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *