Conselho de Administração da Vale: Chapa 7 fortalece apoio

Dias nove, 10 e 11 de fevereiro, os colaboradores da Vale de todo o país estarão escolhendo seus representantes no Conselho de Administração da empresa. O voto é facultativo e em cédulas impressas. Funcionários em home office devem solicitar a entrega da cédula para votação em casa. Em Itabira, um dos concorrentes é a chapa de Carlin Filho (titular) e Wemerson Reis (suplente): Vote 7. A dupla tem ampliado o apoio, e segue com a proposta de doar cerca de 60 mil reais dos vencimentos como membro do colegiado, para serem investidos em atividades sociais e assistenciais ligadas a ação de voluntários da mineradora.

“Ser membro do Conselho é uma importante tarefa. Decidi me tornar candidato, ao absorver o sentimento de total abandono por parte de nossos representantes, e a oportunidade de devolver essa cadeira que pertence ao trabalhador. Na convivência diária notei que esse anseio não era só meu. Vereador eleito em 2016, não obtive licença da empresa, e soube conciliar as atividades, mas notei muitas queixas dos funcionários. Como uma das principais propostas, e registrada em cartório, é a de abrir mão dos vencimentos de titular e suplente. São salários vultuosos, comparados ao de acionistas, e com esse valor vamos contribuir com a sociedade de forma efetiva, pelos 24 meses de mandato”, disse Carlin.

Um dos apoios é de Euclídes Neto, que já integrou o quadro de colaboradores da Vale, atuou também em terceirizadas, e mantém grande ligação com os companheiros do segmento mineral. “Como operador de equipamentos de terraplanagem por cinco anos nas minas de Itabira, trabalhei com Carlin, e reconheço sua luta, e as necessidades dos trabalhadores, que precisam de representatividade. Com a proposta arrojada de beneficiar diversas entidades filantrópicas. Sei desde quando fui presidente de associação comunitária, que é uma coisa que merece ser defendida. Torço que tudo dê certo, porque acredito que seja o melhor caminho”, disse.

Carlin Filho, Euclídes Neto, e Wemerson Reis

O registro no terceiro tabelionato de notas de Itabira, de doar mensalmente praticamente 60 mil reais, para atividades sociais, não será a única proposta da chapa 7. “Temos um projeto habitacional para criar uma condição do funcionário Vale ter seu imóvel, com subsídio da empresa e de financiador público, como a Caixa Econômica Federal, com juros menores e prazo maior. Queremos ampliar a cartela de especialidades médicas e odontológicas. Pretendemos discutir a implantação de uma PLR (Programa de Participação nos Lucros e Resultados) fixa; e propôs aumento de vagas na rede de educação infantil para aqueles funcionários com filhos”, concluiu o candidato.

Clique aqui e veja a entrevista do candidato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *