Dia Mundial da Água: compromisso de resolver desabastecimento em Itabira

Nesta segunda-feira (22), Dia Mundial da Água, o prefeito Marco Antônio Lage reafirmou seu compromisso de resolver o problema de abastecimento no município. Entre outras medidas, planeja-se reduzir o prazo para captação no Rio Tanque. Com a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) no ano passado, a estimativa para a conclusão da obra é de seis anos. O documento foi assinado pela Prefeitura, Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira, Vale e Ministério Público.

“O nosso objetivo é proporcionar a toda a população o adequado abastecimento. Buscamos cada vez mais assegurar a segurança hídrica no município. Assim, estamos buscando antecipar o cronograma estimado neste termo de conduta. Seis anos é tempo demais. O itabirano não pode esperar tudo isso. Por isso, trabalhamos para que esse prazo seja mais curto. Com a captação de água no Rio Tanque, conseguiremos ofertar mais 600 litros de água por segundo para todos”, explicou Marco Antônio Lage.

Reuniões periódicas sobre a captação no Rio Tanque têm sido realizadas entre as partes envolvidas, sempre com participação do Ministério Público e da empresa Aecom, contratada pela promotoria para prestar consultoria nas ações que envolvem a mineradora Vale em Itabira. Outra ação da Prefeitura de Itabira para garantir à população o direito à água é a preservação das nascentes. De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Denes Martins da Costa Lott, algumas ações devem ser reativadas nesta gestão.

“É um espaço em que representantes da comunidade de uma bacia hidrográfica discutem e deliberam sobre a gestão dos recursos hídricos, compartilhando responsabilidades de gestão com o poder público. Nesses comitês, formados por pessoas com diferentes ideias e atuações, discutimos o uso das águas nas bacias”, explicou o secretário. Uma das propostas é retornar com o programa Preservar Para Não Secar, interrompido nos anos passados. A atividade buscava conceder incentivo financeiro aos proprietários rurais pela conservação e proteção das áreas com matas nativas e das margens de nascentes.

A existência de Unidades de Conservação Ambiental (UCA) em Itabira também representa a preocupação da Prefeitura com a água. Atualmente, a cidade conta com três unidades: UCA do Ribeirão São José, UCA Alto do Rio Tanque e a UCA Parque Municipal Mata do Intelecto. Segundo Denes Lott, essas áreas somadas à reserva biológica da Mata do Bispo e ao Poço da Água Santa são verdadeiras indústrias de produção de água. “Essas áreas são ativos ambientais em Itabira e, de maneira ordenada, estarão aptos a receber a visitação de toda a comunidade, com programas específicos em que essa conscientização ambiental se fará de forma mais viva”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *