Risco de surto da dengue em Itabira. Saiba como evitar

Para evitar a proliferação do Aedes aegypti, é necessário adotar alguns cuidados, principalmente dentro das propriedades particulares. Fazendo uma vistoria de dez minutos no imóvel, é possível romper o ciclo de vida do mosquito. Manter lixeiras tampadas, garrafas e baldes de cabeça para baixo; deixar o quintal limpo e sem entulhos.

Itabira

É necessário manter limpos e secos os reservatórios de geladeiras, umidificador e ar-condicionado; lavar frequentemente bebedouros de animais com bucha ou escova; manter a limpeza de ralos e calhas; vedar caixa-d’água, galões, tonéis e poços; remover os pratos de plantas ou colocar areia nos mesmos e descartar o lixo em local apropriado são algumas medidas recomendadas pelas autoridades de saúde.

Como identificar

O mosquito Aedes aegypti possui listras brancas no tronco, cabeça e pernas e se reproduz em água parada. Somente a fêmea pica as pessoas, pois o sangue é necessário em seu organismo para amadurecimento dos ovos. Estes conseguem sobreviver e gerar novas larvas mesmo após um ano de estiagem no recipiente. O ciclo de vida do ovo à fase adulta leva cerca de sete a 10 dias.

Os principais sintomas da dengue são: febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, prostração, dores musculares e manchas vermelhas pelo corpo. Pessoas idosas têm maior risco de desenvolver a forma grave da doença e outras complicações que podem levar a óbito.

Quem adquire zika geralmente tem febre até 38.5ºC, dor de cabeça, dor nas articulações, manchas vermelhas no corpo com coceira, vermelhidão nos olhos e cansaço. Pacientes gestantes devem ter atenção redobrada, pois a doença está associada às ocorrências de microcefalia em recém-nascidos.

Os sintomas da chikungunya são semelhantes aos da dengue (febre alta, dor muscular intensa, dor de cabeça, enjoo, fadiga e manchas avermelhadas pelo corpo). Entretanto, a pessoa sente fortes dores nas articulações, dificultando os movimentos e a locomoção. Os sintomas podem desaparecer em poucas semanas, mas em alguns indivíduos pode durar por meses ou anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *