Em Minas, ano de 2020, foi o segundo de melhor saldo de empregos no Brasil

Às Micros e Pequenas Empresas de Minas Gerais (MPE-MG) reafirmam sua importância na economia. Os pequenos negócios continuam sendo os empreendimentos que mais geram empregos no Estado. Segundo levantamento do Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) Minas feito com dados do Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged), mesmo em um cenário de pandemia, em 2020, às MPEs de Minas Gerais registraram um saldo de quase 36 mil postos de trabalho, resultado superior se comparado aos das grandes e médias empresas que terminaram o ano no negativo.

Porém, mesmo com um bom desempenho, os pequenos negócios fecharam 2020 com o pior saldo de empregos desde 2017. De acordo com o estudo do Sebrae Minas, no ano passado, as MPE mineiras abriram mais de 942 mil postos de trabalho e encerraram aproximadamente 906 mil vagas, gerando o saldo de 35.882 empregos. No mesmo período, as grandes e médias empresas do Estado demitiram mais, do que contrataram. Foram 628 mil contrações e 631 mil desligamentos, resultando em menos três mil empregos.

Afonso Maria Rocha

“Os números mostram a importância dos pequenos negócios na geração de empregos em Minas Gerais. Mesmo sendo muito impactadas pela crise, essas empresas tiveram que se reinventar, a maioria atuando no mercado on-line para conseguir faturar, dando sobrevida aos seus negócios”, explica o superintendente do Sebrae Minas, Afonso Maria Rocha. Em 2020, as MPE mineiras foram responsáveis por 12% do saldo de empregos gerado no Brasil, colocando Minas Gerais na segunda posição entre os estados com os melhores desempenhos atrás apenas das MPE do Paraná, que tiveram o saldo de 38 mil empregos no período.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *