Ferramenta “Vacinômetro” atualiza sobre imunização covid-19 em Itabira

Aferido até 28 de janeiro

A Prefeitura Municipal de Itabira publica, a partir desta quinta-feira (28), um boletim diário com informações sobre a campanha de vacinação contra a covid-19 no município. Chamado de “Vacinômetro”, o informativo apresenta a quantidade de doses destinadas a cada setor dentro dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Estado da Saúde, cujos planos são seguidos pelas equipes locais. Desde o dia 20, segundo mostra a atualização mais recente da Secretaria Municipal de Saúde, já foram vacinadas pelo menos 803 pessoas em Itabira.

O boletim mostra que 723 doses foram destinadas aos hospitais da cidade, sendo 153 para o Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) e 570 para o grupo que reúne Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), Pronto Socorro Municipal e Samu. Em instituições de longa permanência foram 69 doses (46 para os profissionais do Lar de Ozanam e 23 para jovens institucionalizados com mais de 18 anos e com comorbidades e funcionários em duas Casas Lares da cidade). Os idosos ainda aguardam a liberação por parte do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) do Governo do Estado.

O “Vacinômetro” também aponta que 11 doses da vacina foram destinadas às equipes de vacinação da Secretaria Municipal de Saúde, entre aplicadores e coletores. De acordo com a secretária municipal de Saúde, Eliana Horta, a vacinação já contemplou todo o grupo prioritário do Carlos Chagas. No HNSD ainda restam profissionais a serem vacinados, segundo listagem apresentada pelo hospital à SMS. Essas imunizações ocorrerão nos próximos dias. A partir da semana que vem, a Secretaria Municipal de Saúde dá início à vacinação nas equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Segundo a pasta, esse processo seguirá nota técnica emitida pelo Governo de Minas Gerais, que orienta sobre as prioridades entre os profissionais do sistema público. “É preciso esclarecer que todo o processo segue com rigor o que nos foi preconizado. A gente entra agora na etapa desses profissionais de saúde além dos hospitais. São os profissionais que também estão em linha de frente, porque na maioria das vezes é pelas UBSs que os pacientes infectados entram no sistema. Então, é fundamental de que estejam imunes e seguros contra a doença”, comenta a secretária de Saúde, Eliana Horta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *