“Não podemos ser taxados como culpados pelo crescimento de casos,” diz CDL

Presidente da CDL Itabira

Estamos na Onda Vermelha, a mais restritiva, dessa forma, apenas os serviços essenciais estão funcionando. A atividade comercial pode ser considerada um serviço essencial? Se considerarmos o impacto econômico, que pode levar ao desemprego, a resposta é positiva! Temos um novo governo, agora sob gestão de Marco Antônio Lage, junto a uma nova equipe de trabalho, para desenvolver as potencialidades no desenvolvimento econômico. Uma das entidades mais representativas, a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Itabira, do presidente, Mauricio Henrique Martins, que afirmou que o comércio não pode ser taxado como o culpado pelo crescimento de casos de coronavírus.

“Então nós vamos viver nos primeiros dias de janeiro uma incerteza, já que voltamos para Onda Vermelha, e ainda não sabemos qual a decisão do novo Prefeito, sobre o comércio. Estamos trabalhando com expectativa de funcionar, obviamente tomando todas as condições exigidas, principalmente no distanciamento social e uso constante de álcool em gel. Já ficou provado em vários estudos, que o comércio não é o culpado. Não somos nós que promovemos a aglomeração das pessoas. Estudo feito pela Confederação Nacional das CDLs prova isso,” ponderou Maurício.

Ele crê em diálogo com a nova equipe de gestão, liderada por Marco Antonio Lage. “Uma boa conversa será necessária para que as decisões tomadas com relação a funcionamento do comércio sejam passadas antecipadamente, e discutidas antecipadamente. Para a CDL também colocar o ponto de vista e a vivência, além da experiência que temos. Nossa entidade representa mais de quinhentos associados, e definimos os horários especiais de funcionamento. Nesta pandemia nós tivemos infelizmente algumas dificuldades. A discussão deveria ter sido ampliada, mas ocorreu em poucas vezes,” destacou o líder lojista.

Desenvolvimento Econômico sob responsabilidade de Breno Pires

Maurício acredita na capacidade da nova gestão, principalmente da experiência acumulada no meio empresarial. “Marco Antonio traz expectativa muito boa. É uma pessoa que tem uma larga experiência com grandes empresas nacionais e internacionais. Uma pessoa para poder começar a trazer para Itabira, novas oportunidades na geração de emprego. Aos pouquinhos, obviamente, tentando diminuir a dependência com a mineração. Muito bem relacionado, Marco Antônio pode ser essa pessoa para trazer à cidade o tão esperado progresso,” finalizou Maurício Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *