1ª edição do Projeto Meu Lugar encerra 2023 com entregas em duas cidades da região

Foto: Felipe Muniz

Três mostras com atividades formativas e culturais realizadas em 2023, em Barão de Cocais e em Itabirito, contemplam a entrega da 1ª edição do Projeto Meu Lugar, que tem o patrocínio do Grupo Avante, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, realizado pela Coreto Cultural e o Ministério da Cultura. A mostra cênica: “O caminhar da Cultura Afro Brasileira” realizada nos dias 18 e 20 de novembro, na Escola Estadual José Maria de Morais e na Municipal José Maria dos Mares Guia, em Barão de Cocais. O tema escolhido foi a celebração do Dia da Consciência Negra. O desfile realizado nas escolas foi uma programação especial, que trouxe o olhar dos alunos para realidade da negritude e mostrou, o resultado das atividades aos alunos.

Foto: Felipe Muniz

“O projeto Meu Lugar traz um espaço de fala importante para as comunidades locais, que puderam se expressar durante conversas e ações artísticas. A cultura é, realmente, uma ferramenta importante de transformação social e contribui para o fortalecimento da autoestima da população. Proporcionar lazer, bem-estar e estimular o conhecimento das pessoas que estão nessas operações, vão de encontro com o nosso jeito de fazer a mineração do futuro: com respeito, transparência e oportunidade de desenvolvimento para todos. Por isso, foi uma alegria para o Grupo Avante promover o projeto Meu Lugar em comunidades de Itabirito e Barão de Cocais”, explica Mariana Morales, Gerente de Sustentabilidade no Grupo Avante.

Foto: Felipe Muniz

Nas semanas anteriores à mostra, eles tiveram aulas de Figurino, Maquiagem, Cabelo e Confecção de Tambores, com o intuito de estimular o desenvolvimento comunitário a partir da capacitação ligada à cultura e à economia criativa. Durante a Mostra nas escolas, a comunidade pôde assistir ao vídeo produzido pela Coreto Cultural com imagens coletadas durante os processos de criação e aprendizado das oficinas que culminaram na mostra. Foi um momento de alegria e emoção no qual os estudantes puderam se ver. “Estamos muito felizes e abertos para outras ações relacionadas à arte e a cultura, de forma a estimular os alunos para essas áreas do conhecimento,” comemora a diretora da Escola Estadual José Maria de Morais, Cristina Domingues Arantes.

Foto: Felipe Muniz

A Coreto Cultural também esteve no bairro Marzagão, em Itabirito, realizando oficinas formativas e uma mostra cultural na Escola Municipal Antônio Toledo Sobrinho, potencializando a celebração da formatura dos alunos do 2º período e do 5º ano da instituição de ensino. No dia 11 de dezembro, foram ofertadas oficinas de maquiagem, tranças, tambores e danças urbanas, em uma preparação para o evento de formatura, que tinha como tema a influência da origem africana na cultura brasileira. Os alunos puderam fazer penteados, entender como se maquiar, além de aprender os primeiros ritmos do tambor e passos de danças para as apresentações. Durante todo o dia, as crianças se deliciaram com pipoca e algodão doce.

Foto: Felipe Muniz

Dia 12 de dezembro ocorreram às formaturas dos estudantes, com a presença dos formandos, profissionais da comunidade escolar e familiares. Também marcaram presença a secretária de Educação do município, Iracema Mapa, a diretora e a vice-diretora das escolas rurais, Maria Salete Vasconcelos e Maria das Graças Teixeira, além de outras autoridades. Durante a mostra, os alunos do 2º período apresentaram uma coreografia de dança de rua ensaiada pelos professores durante as oficinas, enquanto os alunos do 5º ano mostraram o que aprenderam durante as aulas em uma apresentação de percussão. Os instrumentos utilizados foram produzidos por eles e é um presente do Meu Lugar, como um incentivo.

Foto: Felipe Muniz

“Quando você traz a ideia de um resgate, você torna as pessoas protagonistas da sua própria história. Então, não é um projeto que vem e vai embora. É um projeto que traz uma mentalidade diferenciada. É um resgate de história. Você se vê dentro do projeto o tempo todo. E isso é colher frutos imediatamente. Hoje, eu olho para os meninos e vejo  crianças aprendendo a fazer percussão em duas horas de oficina. Ninguém via isso. Eles já tinham essa vontade de fazer e pertencer. Eu não tinha dimensão do quanto o projeto poderia alcançar. E alcançou”, disse o coordenador da escola Antônio Toledo Sobrinho, Dijalma Lúcio da Silva. Outra ação foi à pintura de murais nas escolas pela artista Anna Gobel em Barão de Cocais, no mês de outubro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *