Problema de saúde pública: crescem percentual de motoristas alcoolizados nas rodovias

Foto: PRF

Muitos motoristas ainda persistem na combinação álcool e direção. Segundo resultados da Operação Ano Novo 2023, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), houve um aumento de 70% no número de autuações de motoristas dirigindo embriagados. Em alguns exemplos, citado pela PRF foi dado ordem de parada a um veículo que desobedeceu ao comando, atirou o carro contra os policiais e tentou fugir da abordagem. Durante a tentativa de fuga, o automóvel colidiu contra um barranco. No interior do veículo, foram encontradas garrafas de cerveja.

Em outro caso, um homem transportando um passageiro invadiu a contramão da via e colidiu com uma carreta. Segundo a PRF, o interior do veículo estava com forte odor de álcool e foram localizadas garrafas vazias de cachaça. O condutor e o acompanhante ficaram feridos. Muito além de uma infração de trânsito e multa gravíssima de quase R$ 3 mil, a questão, tida como uma das maiores causas de acidentalidade, considerado problema de saúde pública, para o presidente da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico (Trauma), José Octavio Hungria.

Os acidentes de trânsito estão entre as principais causas de politraumatismos, situação em que dois órgãos ou mais, ou a partir de duas partes distintas do corpo, são lesionadas gravemente. “Sobreviventes de politraumatismos poucas vezes retornam à vida comum. Na maior parte dos casos, série de sequelas impactam na vida da vítima”, pontua o traumatologista. “A situação leva a uma condição de esgotamento da capacidade fisiológica de equilíbrio orgânico, o que eleva a taxa de mortalidade”, revela José Octavio Hungria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *