Casa de Apoio em Belo Horizonte volta a funcionar depois de quatro anos

O prefeito Marco Antônio Lage autorizou, nesta quarta-feira (16), a abertura do processo de contratação da casa de apoio para pacientes em Belo Horizonte. O chefe do Executivo tratou do assunto com a secretária municipal de Saúde, Luciana Sampaio, e pediu celeridade para que o espaço volte a funcionar na capital mineira, depois de quatro anos fechada. A casa de apoio é um ambiente para acolher pessoas de Itabira que fazem tratamento em Belo Horizonte. O espaço era ofertado até o início de 2017, quando foi suspenso pela gestão anterior. Desde então, os pacientes estão sem um local para passar o dia enquanto todos os atendimentos daquela data são realizados na capital.

Cerca de 300 itabiranos são levados a Belo Horizonte mensalmente para tratamentos diversos, sobretudo aqueles de alta complexidade, como radioterapia, cateterismo, arteriografia e outros. “É uma situação desgastante. A casa de apoio vem para trazer dignidade à jornada que essas pessoas vivem diariamente, que por si só já é muito delicada. De maneira inexplicável, esse serviço tão importante foi suspenso nos anos passados, mas era uma meta já anunciada por nós, ainda durante a campanha, retomar com a Casa de Apoio. Agora, depois do momento de reestruturação na Secretaria Municipal de Saúde, estamos preparados para dar esse passo”, comenta o prefeito Marco Antônio Lage.

O prefeito lembra ainda que a retomada da casa de apoio foi demandada também pela Câmara Municipal, inclusive com uma indicação do vereador Marcelino Guedes logo no início da atual legislatura. A secretária Luciana Sampaio comenta que técnicos da pasta já visitam casas de apoio em Belo Horizonte desde o mês de fevereiro, para conhecer estruturas oferecidas e elaborar o edital de licitação para o espaço a ser contratado pela Prefeitura. A estrutura deverá dispor cama, sala com TV, quatro refeições diárias e equipe preparada para prestar toda assistência aos itabiranos.

“É preciso ressaltar a importância deste ambiente para quem enfrenta a dura realidade de um tratamento de saúde. Estamos falando de uma assistência mais adequada, um conforto que pode ser decisivo no sucesso desse tratamento. Os pacientes poderão descansar, ter uma alimentação balanceada, uma boa hidratação e outros benefícios que valem muito neste momento de luta contra uma doença”, elenca Luciana Sampaio. Ainda segundo ela, os documentos necessários para a licitação já são levantados e o procedimento deverá seguir com o rito de tramitação nos próximos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *