Fazenda São Lourenço desenvolve técnicas de validação rural

Em mais uma visita técnica para conhecer os pontos estratégicos de desenvolvimento em Itabira, o prefeito Marco Antônio Lage e uma equipe de secretários estiveram na manhã desta quarta-feira (26) na Fazenda São Lourenço, na zona rural do município. O terreno de 265 hectares é administrado pelo Centro de Referência em Agronegócio Sustentável de Itabira e Região (Crasir), desde 2018, com o apoio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA). Também participam do consórcio o Sindicato Rural de Itabira, Associação dos Produtores da Agricultura Familiar de Itabira (Apafi), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater) e universidades locais.

Na Fazenda Crasir são desenvolvidos projetos voltados para o agronegócio, com validação de técnicas que podem contribuir para o crescimento do setor em Itabira. Marco Lage e a equipe conheceram as ações praticadas em quatro pilares: unidades demonstrativas, produção de mudas, parcerias público privadas, e ainda o desenvolvimento de atividades em parceria com universidades locais para a realização de pesquisas e cursos. O prefeito avaliou a visita como produtiva e falou da elaboração de um plano estratégico para ampliar as ações e potencializar o agronegócio. Para as plantações são utilizadas diversas técnicas, com sistemas de produção diferentes, com validação de tecnologias usuais já aprovadas em outras regiões.

“Já iniciamos aqui um programa de validação de técnicas para que possamos utilizá-las em nosso imenso território rural de Itabira. Vamos manter estratégias que em quatro anos vão transformar o cenário do agronegócio na cidade, como desenvolver a agricultura familiar, respeitando as características da região, que é de pequenas e médias propriedades, colocando em prático um projeto de curto, médio e longo prazo. Daqui a alguns anos o agronegócio vai estar participando fortemente como uma alternativa de geração de emprego e renda e uma grande atividade econômica em Itabira”, disse o prefeito, enquanto passava pelas plantações de goiaba, banana e uva.

Com o experimento será possível identificar a técnica que melhor irá se adaptar ao solo itabirano e os produtores locais poderão aplicá-las em suas propriedades. No terreno estão sendo cultivadas quatro variedades de goiabas, 12 de bananas e três de uvas. No canavial de 3 mil m² são cultivadas duas variedades de cana, que tem dupla aptidão, já que podem ser usadas na agroindústria na produção de cachaça, açúcar, açúcar mascavo e também servem para alimentação de bovinos. Por meio de uma parceria público-privada com um produtor da região, estão na fazenda 21 novilhas de raça para o aproveitamento do espaço.

O produtor deve destinar parte do lucro para ser revertido nos projetos da fazenda. O prazo de utilização do terreno é limitado até janeiro de 2022. O produtor interessado na parceria deve aguardar o chamamento público, realizado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento. O secretário responsável pela pasta, Mauro Ferreira, acompanha de perto as atividades realizadas na fazenda e garante que os projetos podem contribuir com o agronegócio em Itabira. “A gente acabou de enviar as propostas para o Plano Plurianual (PPA) e dentro do plano existem quatro grandes programas, um que trabalha o abastecimento e comercialização, um programa de incentivo a produção agrícola e outro de segurança alimentar e desenvolvimento rural e eventos”, afirma o secretário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *