Pela terceira vez, criança de Itabira troca correspondências com o Vaticano

Luciana da Silveira Silva, e a filha Ayana Maria Silveira Figueiredo

Ayana Maria Silveira Figueiredo é uma jovem itabirana inteligente, meiga, educada, religiosa e cheia de sonhos, talvez o maior deles, conhecer pessoalmente o sumo pontífice, o Papa Francisco, batizado no nascimento como Jorge Mario Bergoglio. O argentino, líder da Igreja Católica trocou pela terceira vez, correspondências com a estudante, que dia 27 de setembro, completa oito anos. Dessa vez, o Vaticano se correspondeu também com a mãe de Ayana, Luciana da Silveira Silva.

“É motivo de muito orgulho e satisfação ter uma filha que gosta tanto de coisas que não são tão comuns. Eu só posso estimular cada vez mais essa habilidade”, disse Luciana. Ayana coleciona feitos: escreveu um livro infantil, ama a leitura, e atividades que despertam a criatividade e a imaginação, como desenhar e criar figuras em papel. “Eu fiquei muito feliz porque eu não imaginava que ele ia me responder as três cartas”, disse a talentosa criança, que teve como iniciativa própria escrever cartas.

Luciana acompanha de perto as atividades da filha

Luciana salvou em pendrive reportagem do canal da TV Canção Nova com Ayana como personagem, além de inserir a gravação de trechos em vídeo, que ela faz a leitura na missa das crianças.  A estudante sente-se próxima do Santo Papa. “Agora a gente se considera como amigo,” enfatizou. Sobre o livro, mostrou como foi o processo de criação. “No livro, a escola ajudou, estava no primeiro ano com a professora Renilda. Um dia ela disse para pegar o papel, dobrar em partes, desenhar e escrever a história ”, revelou a jovem.

Depois da troca de correspondências, Ayana se sente próxima ao Papa Franscico

A mãe incentiva a filha, mantendo a liberdade de escolha da própria Ayana, mas com tudo sob sua supervisão. “Ver o Papa corresponder, principalmente nesse momento tão difícil que a humanidade está passando. Uma pessoa tão importante na nossa fé católica, dar atenção pra gente,” comemorou Luciana, que enviou junto ao material, uma carta dela ao Papa Francisco, respondida separadamente. “Eu leio na Igreja, e todo domingo vamos a missa. Eu sou muito religiosa, tenho até uma boneca de irmã de caridade,” concluiu a jovem, mostrando sua ligação com a Igreja Católica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *