CDL sugere revezamento na abertura de lojas e atendimento externo

Lojas do Centro de Itabira

Dia 25 de março, se reuniram virtualmente, para criar o Comitê Intersetorial de Combate a Covid, várias entidades de classe, como a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Itabira. Essa ferramenta tem a finalidade de discutir vários assuntos, como o apoio da Prefeitura Municipal. Um das ideias é assistir as empresas diante do impacto nas vendas, devido à restrições da pandemia. Empréstimos seriam disponibilizados com taxas mais atrativas, para manter o funcionamento do comércio, no momento em que os clientes estão sendo atendidos apenas na modalidade delivery.

Avenida João Pinheiro

“Seriam empréstimos através de bancos e instituições financeiras privadas. A proposta da CDL é que a administração pública procure uma maneira de socorrer as empresas com recursos do Fundesi (Fundo do Desenvolvimento Econômico e Social de Itabira), que tem recursos próprios para conceder empréstimos criteriosos com juro praticamente zero. Demais opções do mercado, são burocráticos e com taxas muito mais altas, obviamente”, disse Mauricio Martins, presidente da CDL Itabira. Ele ainda fez reivindicações, para reativar o atendimento presencial no comércio, cumprindo regras.

Houve a sugestão de revezamento do comércio não essencial, para funcionamento em determinados dias da semana, metade de um lado da via, para na data seguinte, contemplar os demais. “O comércio do lado direito abriria na segunda-feira, e do lado esquerdo na terça-feira, e assim intercalando,” explicou Maurício. Seriam números ímpares em uma data, e os pares em outro dia. A alternativa é vista como forma de volta gradual ao atendimento. Outra sugestão, e ter equipe interna de trabalho nas lojas, fazendo a entrega das mercadorias compradas no balcão de atendimento, mas com espaçamento necessário.

“Com essa sugestão, quem compra no crediário próprio poderia quitar seus carnês, para a loja ter condições de pagar os funcionários e demais obrigações. Sem essa autonomia de atender do lado de fora, as lojas não terão recursos sequer para quitar os salários. Lojas de pequeno porte não vão gerar filas e tumultos, como ocorre em lotéricas e bancos. Pedimos também a intensificação de campanha para adoção de medidas sanitárias de prevenção. E solicitamos atenção ao transporte púbico, com maior circulação de coletivos. Segundo os empresários, são poucos, principalmente aos sábados, para os funcionários poderem ir e vir”, destacou o presidente da CDL Itabira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *