Centenária sem comorbidades é a 26ª vítima do cornavírus em Itabira

O 26º óbito ocorrido neste sábado (28) em Itabira, devido ao coronavírus, é uma mulher de 102 anos, que estava internada no Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), desde o dia 19. Apesar dos nove dias na unidade médica, ela não tinha qualquer doença associada a covid-19. Essa vítima foi a primeira paciente que evolui para o óbito, sem ter comorbidade. A segunda morte registrada em dois dias. Na sexta-feira (27), houve anúncio da 25ª morte ligada à doença.

A situação de leitos em Itabira se agravou, com 24% de ocupação em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), e 30% em enfermaria, nos hospitais Nossa Senhora das Dores (HNSD) e Municipal Carlos Chagas (HMCC). São 62 internações, entre os quais 17 moradores de Itabira. Esta em curso de investigação três pacientes internados, e uma morte. Conforme dados divulgados dia 28 de novembro, são 3912 de positivos, com 3453 recuperados, o que indica percentual de resposta positiva a enfermidade 88%, também em declínio.

Até a atualização mais recente, em 27 de novembro, Itabira se mantém na onda verde do programa Minas Consciente. É perceptivo o desrespeito ao distanciamento social necessário. Na madrugada de sábado (28), um bar foi lacrado na avenida Mauro Ribeiro Lage, bairro Esplanada da Estação, por não seguir as regras sanitárias e permitir aglomerações. A taxa de isolamento social também está em queda, 29%, na atualização em 26 de novembro.

Dos 80 mil testes rápidos aplicados nos moradores da cidade, 5% deram positivos, mas o índice de confiabilidade é considerado baixo. Conforme especialistas, as avaliações que usam fita são menos confiáveis, porque podem ser falsos negativos. “São considerados menos sensíveis que as sorologias em sangue total ou soro”, esclarecem infectologistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *